Estreito de Magalhães: atração final da Terra do Fogo

Passeio realizado no dia 01/12/2010

Após 4 dias na cidade do Fim do Mundo, chegou a hora de desbravar mais um destino. A escolha foi pegar um ônibus e cruzar a fronteira para ir até a cidade de Punta Arenas, na Patagônia Chilena.

Apesar da distância entre as 2 cidades não ser muito grande (em torno de 600 km), a viagem se torna longa (em média umas 12h) devido a fatores como a passagem pela imigração argentina e chilena, a presença de estradas de rípio em determinados pontos e a necessidade de atravessar o Estreito de Magalhães por balsa.

Rota entre Ushuaia a Punta Arenas

Além das dificuldades acima, outro fator que vale ressaltar é que a viagem não é direta. Quando se compra a passagem, na verdade é fornecido 2 bilhetes de ônibus: um para o trecho Ushuaia a Rio Grande e outro para o trecho Rio Grande a Punta Arenas.

Saindo de Ushuaia às 6h30 da manhã, o ônibus da empresa Nuevo Extremo demorou umas 3 horas para chegar a rodoviária de Rio Grande, onde todos desceram para aguardar em torno de 1 hora até a saída do ônibus da empresa Bus-Sur que faria o trajeto final até Punta Arenas.

Devido ao horário cedo e ao maravilhoso ônibus leito da Nuevo Extremo, a viagem até Rio Grande passou rapidamente. Já o trecho até Punta Arenas foi bem mais longo…

Pouco tempo após o ônibus sair de Rio Grande, houve a primeira parada da viagem no Paso San Sebastián para fazer os trâmites burocráticos de saída do território argentino e entrada no território chileno.

Paso San Sebastián

Primeiro passamos pela imigração argentina na qual apenas entregamos os passaportes ao coordenador do ônibus que tratou tudo com os oficiais da imigração. No entanto, tivemos que aguardar quase 1 hora parado no ônibus devido a implicância da imigração argentina com 1 casal espanhol porque a garota era menor de idade.

Resolvido o problema acima, tivemos ainda que passar pela imigração chilena que é a mais chata de todas. Ao contrário da argentina que nem era necessário descer do ônibus, na chilena todos devem descer do ônibus com suas bagagens e passar pelo raio-x, já que o Chile possui fortes restrições quanto a entrada de produtos em seus territórios. Mas o pior mesmo foi descer do ônibus e quase ser levado pelo vento patagônico que pela primeira vez mostrou sua verdadeira força durante a viagem.

Terminada a imigração, todos voltaram ao ônibus que agora seguiu caminho em estradas de rípio até Bahia Azul, ponto final da Ilha da Terra do Fogo e de onde saem as balsas da empresa Transbordadora Austral Broom que fazem a travessia pelo Estreito de Magalhães.

Travessia pelo Estreito de Magalhães Creative Commons License Crédito: Vera & Jean-Christophe

O Estreito de Magalhães é um canal marítimo que liga os Oceanos Pacífico e Atlântico, separando o extremo sul do continente americano da Ilha Grande de Terra do Fogo.

O português Fernão de Magalhães foi o primeiro navegador europeu a cruzar esse canal e por isso o local foi batizado como Estreito de Magalhães.

Um dado histórico é que o Estreito de Magalhães foi o principal ponto de ligação entre a costa leste e oeste do continente americano até a inauguração do Canal do Panamá.

Devido a todos esses dados, sem dúvida o ponto alto da viagem era a travessia do Estreito de Magalhães. Devido aos fortes ventos que afetam a região, esse serviço pode ser suspenso a qualquer momento, no entanto tivemos sorte e a travessia estava sendo realizada normalmente naquele dia.

Estreito de Magalhães

A travessia do Estreito de Magalhães entre Bahia Azul e Punta Delgada demora em torno de 15 minutos e as pessoas podem descer do ônibus e passear pela embarcação durante o trajeto.

No entanto, fique esperto quanto ao término da travessia, pois seu ônibus pode partir sem você como aconteceu comigo num breve momento em que resolvi ir ao banheiro da embarcação. Mas apesar do susto inicial de ficar perdido em pleno Estreito de Magalhães no Fim do Mundo, a balsa retornou ao ponto de desembarque e consegui chegar ao ônibus onde fui recepcionado com uma salva de palmas de todos os passageiros.

Já em continente, o ônibus seguiu para a parte final da viagem até Punta Arenas ao som da Rocío Durcal. Como o ônibus estava repleto de turistas estrangeiros, acredito que só eu (que adoro música hispânica) e o coordenador do ônibus que gostamos de assistir pela TV ao show completo da Rainha da Música Rancheira, o que na minha opinião fechou com chave de ouro essa viagem inesquecível pelo fim do mundo.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...